Decisão sobre a Reforma Trabalhista só no plenário

Terça, 20 de junho: por dez votos a nove, o parecer à Reforma Trabalhista foi derrotado na Comissão de Assuntos Sociais do Senado (CAS). É natural. Senadores e deputados sempre buscam escolher a comissão permanente que mais se associe a suas áreas de atuação. Assim sendo, a de Assuntos Sociais, onde se reúnem parlamentares que se destacam na luta pela manutenção dos chamados direitos dos trabalhadores, não tenderia a aprovar a Reforma. Não por outra razão, a oposição pleiteara que a Reforma Trabalhista fosse analisada também pela CAS. O projeto ainda vai ser submetido à Comissão de Constituição de Justiça. No entanto, mesmo que seja derrotado também nessa comissão, seguirá para o Plenário.  Muita água ainda vai rolar.

Haja contradição!

Na aguardada reunião em que o PSDB decidiria se rompe ou não com o Governo Temer, a única decisão foi protelatória: o partido fica no governo; mas, dependendo dos acontecimentos, pode mudar de posição.
​​Ainda assim, a Executiva​ ​resolveu que​ ​vai recorrer da decisão do TSE de não cassar a chapa Dilma-Temer.

Céu nublado para os tucanos

O PSDB pode antecipar as convenções partidárias, previstas para março de 2018, em função de o senador Aécio Neves estar licenciado como presidente da legenda – função que o senador Tasso Jereissati vem exercendo interinamente. A manutenção da prisão da irmã do senador, Andrea Neves, pela mesma Primeira Turma do STF, na terça-feira 12 de junho, não favorece as perspectivas de Aécio de voltar ao Senado e reforça a linha de cautela da direção do PSDB.

Diretas Já: Oposição não pode ser contra

Sobre a defesa das Diretas Já na Câmara, um dos mais estridentes deputados da oposição, disse que não poderia ficar contra a Proposta de Emenda a Constituição, que deve ser votada nesta quarta-feira na Comissão de Constituição e Justiça. Afinal, as ruas querem eleições diretas. Reservadamente, ele se diz certo de que a PEC das Diretas não vai ser aprovada pelos deputados. Para tanto, precisaria reunir 308 votos favoráveis em dois turnos de votação.

Partido Híbrido (PH)

Os partidos de oposição lançaram, na quarta-feira, 7 ​de junho​, a Frente Parlamentar Suprapartidária por Diretas Já! O evento, realizado no Salão Nobre da Câmara dos Deputados, contou com uma animada participação do PSB, que anunciou o rompimento com o governo Temer depois da divulgação do grampo da JBS. Um deputado de convicção governista, figura das mais experientes do Legislativo, comentou a inclinação do PSB para esquerda, de onde, segundo ele, nunca deveria ter saído. Indagado sobre o seu futuro político, neste desordenado ambiente partidário, o deputado se declarou um híbrido.